Pular para o conteúdo principal

Assentamento de piso sobre piso é possível?

O assentamento de piso sobre piso é sim possível e tem se tornado uma prática comum em reformas de espaços residenciais e comerciais. Essa técnica tem a vantagem de reduzir a geração de resíduos, poeira e entulhos e do tempo de serviço, evitando que área fique interditada por muito tempo.

Embora o serviço seja simples, é importante ficar atento a alguns procedimentos necessários para o assentamento como: limpeza e regularização da base a ser revestida, tipo de argamassa e possíveis alteração de pontos de tomada e saída de água, ajustes de portas e janelas ao novo nível devido ao recebimento da nova camada de piso e, ainda, qual o tipo de revestimento que pode ser sobreposto e qual pode receber um novo piso acima dele.

Regularização e condições do piso existente

Antes de iniciar a instalação do novo piso é fundamental verificar se a superfícies está regular, se existem peças soltas ou quebradas. Caso haja peças danificadas, será necessário retirá-las e corrigir os espaços vazios em espessura suficiente para nivelar a área. Nessa fase é necessário ter bom senso e avaliar se são poucas peças a serem reparadas, se vale mais a pena o assentamento sobre o piso ou retirar toda o piso antigo e fazer um revestimento novo, pois a base deve estar bem assentado para não ocorrer futuras patologias.

Limpeza da base a ser revestida

A seguir a  superfície a ser revestida deve estar totalmente limpa (sem poeiras, gordura e bolor) e seca, para não prejudicar a aderência das placas. Para cada tipo de impurezas são indicados uma substância adequado, como lavagem com jatos de água ou de areia, aplicação de ácidos em alguns casos, escova de aço, etc.

Tipo de argamassa

Existem diversos tipos de argamassas colantes, cada um com suas propriedades particulares (grau de aderência, resistência) para atividades específicas. Portanto, para o revestimento de piso sobre piso deve ser usado uma argamassa propria para essa finalidade. 

O assentamento das novas placas deverá ser executado utilizando a técnica de dupla colagem, ou seja, a argamassa deve ser aplicada na base antiga e no verso do novo revestimento. 

Atenção para o piso de madeira

A madeira é um produto natural, que dilata e retrai de acordo com a alteração da temperatura do ambiente, portanto não é possível assentar um piso sobre a madeira. Além disso, é um tipo de revestimento que precisa ser mantido seco, o que torna inviável a colocação de argamassa.

No entanto, é possível assentar o piso de madeira sobre cerâmica, basta seguir adequadamente os procedimentos de assentamento. 

Referências:
Revista Equipe de Obra - PINI
AECweb

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Sustentabilidade na Construção Civil - Parte 3: Redução, Reutilização e Reciclagem de Resíduos Sólidos

A indústria de construção civil é uma das que mais utiliza recursos naturais e também uma das maiores geradoras de resíduos, tais como: tijolos,  blocos  cerâmicos,  concreto  em  geral,  solo,  rocha,  madeira,  forro, argamassa, gesso, telha, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica, etc.,
O destino desses resíduos muitas vezes são inadequados, contribuindo para os impactos ambientais, tais como: assoreamento de rios e corrégos, obstrução dos sistemas de drenagem, proliferação de agentes transmissores de doenças, etc.
Assim,  é necessário encontrar formas de reduzir, reutilizar e reciclar  (3 Rs) esses entulhos.
Redução
A redução de resíduos consiste em encontrar maneiras de utilizar ao máximo a matéria prima, evitando desperdícios. Para isso é necessário uma boa elaboração do projeto, especificando o material mais indicado, método construtivo mais adequado, visando sempre a menor produção de resíduos e o aumento da vida útil do edifício.
A co…

Cuidados no dimensionamento e na instalação da cobertura verde

Existem 3 tipos de telhados verdes: o extensivo, o intensivo e o semi-intensivo. Eles se diferenciam pelo porte da vegetação e pela quantidade de solo necessária para seu cultivo. O tipo extensivo tem o aspecto de um jardim, com plantas de pequeno porte como as gramíneas. Já a intensiva comporta plantas de médio a grande porte como os arbustos, samambaias e pequenas árvores.

Independentemente do tipo de cobertura adotada, a laje deve ser dimensionada para suportar cargas equivalentes ao acúmulo de água e ao peso total do sistema.

Camada impermeabilizante

É necessário que a superfície seja impermeabilizada antes da instalação do sistema, isso evita que ocorra infiltrações devido ao acúmulo de água da chuva na cobertura. O tipo de impermeabilizante irá depender do projeto e do gosto do executor. Normalmente é utilizado o PEAD (manta de polietileno de alta densidade), cimento polimérico, manta asfáltica geotêxtil ou com tratamento anti-raiz, dependendo do tipo de vegetação.

Camada drenante

E…