Pular para o conteúdo principal

Gestão eficiente de água na indústria: Ambev

A maioria das indústrias brasileiras de bebidas possuem sua própria estação de tratamento de água, isso ajuda a reduzir custos e melhorar a qualidade de água servida na produção. Quanto maior a indústria maior a demanda por água limpa.

Uma das fábricas da Ambev, localizada em Campo Grande, zona oeste do Rio de Janeiro, conseguiu em dez anos reduzir em 50% o consumo de água em sua produção,  antes eram gastos cerca de 7 litros de água por litro de produto, atualmente consegue-se produzir a mesma quantidade utilizando apenas 3,5 litros de água.

A fábrica possui sua própria Estação de Tratamento de Água. A água utilizada na produção também é reaproveitada em atividades como lavagem de tanques e limpeza em geral. Por exemplo, a água que enxagua as garrafas é aproveitada para lavar engradados. Na pasteurização, a água que é utilizada para elevar a temperatura da cerveja é também usada para resfriá-la. Esse circuito fechado reduz a necessidade de captação. Deixando claro, que toda a água utilizada na elaboração do produto é uma água nobre.

Existe também uma Estação de Tratamento de Efluente, para tratar toda a água utilizada e devolvê-la à natureza com alto grau de pureza.

Também são oferecidos treinamentos aos funcionários, para a redução do consumo de água nas unidades. Além disso, todas as fábricas seguem os “Mandamentos da Água”, documento  que  estabelece  os  padrões,  ações  e  critérios para a diminuição de consumo, eliminação de desperdício e aumento do reaproveitamento do recurso.

Para verificar o andamento das ações praticadas pelos funcionários, a Ambev acompanha constantemente os índices de cada uma das fábricas. Para isso, foram instalados medidores especiais em cada etapa do processo produtivo. Todas as áreas de trabalho recebem uma meta de consumo e toda a água excedente é reaproveitada em atividades que não envolvem a elaboração de produto.

A redução no consumo de água é importante para a redução de custos da produção, pois permite uma redução de custo no tratamento de água, no tratamento de efluentes e na energia utilizada para bombear a água. Ganhos para o meio ambiente e para a empresa.



Fontes:

* Cidades e Soluções - André Trigueiro.
* Relatório de Sustentabilidade - Ambev.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que é necessário para um projeto ser aprovado na prefeitura?

No Brasil, praticamente todas as prefeituras exigem os mesmos documentos, dados e informações na aprovação de um projeto. Em geral, para que um projeto seja aprovado em uma prefeitura ele deve conter informações suficientes para que a obra seja construída. No mínimo o projeto deve ter: planta baixa, planta de locação, planta de cobertura, planta de situação, 02 cortes, 02 elevações e, em casos de obras mais complexas podem ser necessários mais detalhamentos. Planta Baixa Planta baixa é a projeção de um corte horizontal imaginário à uma altura que normalmente é de 1,50 m do piso de uma construção futura. Essa altura é utilizada por ser ideal para captar os vãos das aberturas, como portas, janelas, basculas, para serem vistos e representados em planta. A planta nos permite visualizar e entender como ficará a construção: locais das paredes, vãos, cômodos, etc. Haverá uma planta baixa para cada um dos pavimentos da edificação. Fonte: Cadklein. A representação gráfica fi

‘POLÍTICA AMBIENTAL: Linha do tempo - Evolução da legislação ambiental brasileira.’

Um breve resumo da legislação ambiental no Brasil de 1906 a 2011. OBS: Por favor, para uma melhor visualização, abrir a imagem em uma nova aba e dar zoom . Fontes:   * Site do Ministério do Meio Ambiente. Acesse Aqui!   * Site do Planalto. Acesse Aqui!

Importância do EIA/RIMA - Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental no licenciamento de empreendimentos

A legislação brasileira e estrangeira estipula aos empreendedores a apresentação de estudos de impacto ambiental para o licenciamento ambiental de atividades econômicas. A definição de quais estudos ambientais serão utilizados vai depender do grau de impacto ambiental envolvido e da análise dos órgãos ambientais competentes. No caso do licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: ferrovias; portos; terminais de minério, petróleo e produtos químicos; oleodutos, entre outras atividades (especificadas na resolução Conama 001/86), é necessário a elaboração de estudo de impacto ambiental (EIA) e respectivo relatório de impacto ambiental (RIMA), a serem submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da Secretaria Especial do Meio Ambiente (SEMA) em caráter supletivo. A exigência de apresentação de estudos ambientais é importante, pois destina-se verificar  a viabilidade ambiental do negócio a ser instalado ou operado pelo empreendedor, servindo pa