Pular para o conteúdo principal

Perdas de água por Estado - uma receita perdida

As perdas em sistemas de abastecimento correspondem aos volumes de água não contabilizados, incluindo os volumes não utilizados e os volumes não faturados (PERTEL, 2009).

As perdas de água podem ser de dois tipos:

Reais: são as perdas físicas, decorrentes de vazamentos nas unidades do sistema.

Aparentes: são as perdas representadas pelas ligações clandestinas, fraudes nos medidores, erros de leituras, entre outros. Estas são denominadas perdas de faturamento, uma vez que a água é consumida, porém não é faturada pela concessionária.

Segundo um estudo realizado pelo Instituto Trata Brasil, que teve como objetivo estudar a situação das perdas de água do país, com foco nas grandes regiões, nos estados e no grupo das 100 maiores cidades brasileiras, cerca de 40% de água tratada no Brasil é desperdiçada. Na Europa, o percentual de perdas corresponde a cerca de 15% e no Japão é de apenas 3%.

Os dados utilizados no estudo são de 2010, que são os números oficiais mais recentes, e se baseiam nas perdas financeiras dos provedores dos serviços informadas ao Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), do Ministério das Cidades.

De acordo com a tabela abaixo é possível comparar a situação das perdas de água com a situação da disponibilidade hídrica em cada estado e o aumento da receita com a redução de 10% das perdas. 

 

Fonte: Adaptado do Trata Brasil. 

A pesquisa mostra que uma redução de apenas 10% das perdas do país corresponderia a uma receita de cerca de R$ 1,3 bilhão.

A redução de perdas poderia ser obtida por meio de medidas simples como a manutenção preventiva, verificando-se as peças com defeitos e sua substituição.

Fontes: 

Estudo realizado pelo Instituto Trata Brasil: Perdas de água: Entraves ao avanço do saneamento básico e riscos de agravamento à escassez hídrica no Brasil. 

PERTEL. M. Dissertação de Mestrado: “Caracterização do Uso da Água e da Energia Associada à Água em uma Edificação Residencial Convencional e uma Dotada de Sistema de Reúso de Águas Cinza”. 2009.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que é necessário para um projeto ser aprovado na prefeitura?

No Brasil, praticamente todas as prefeituras exigem os mesmos documentos, dados e informações na aprovação de um projeto. Em geral, para que um projeto seja aprovado em uma prefeitura ele deve conter informações suficientes para que a obra seja construída. No mínimo o projeto deve ter: planta baixa, planta de locação, planta de cobertura, planta de situação, 02 cortes, 02 elevações e, em casos de obras mais complexas podem ser necessários mais detalhamentos. Planta Baixa Planta baixa é a projeção de um corte horizontal imaginário à uma altura que normalmente é de 1,50 m do piso de uma construção futura. Essa altura é utilizada por ser ideal para captar os vãos das aberturas, como portas, janelas, basculas, para serem vistos e representados em planta. A planta nos permite visualizar e entender como ficará a construção: locais das paredes, vãos, cômodos, etc. Haverá uma planta baixa para cada um dos pavimentos da edificação. Fonte: Cadklein. A representação gráfica fi

Importância do EIA/RIMA - Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental no licenciamento de empreendimentos

A legislação brasileira e estrangeira estipula aos empreendedores a apresentação de estudos de impacto ambiental para o licenciamento ambiental de atividades econômicas. A definição de quais estudos ambientais serão utilizados vai depender do grau de impacto ambiental envolvido e da análise dos órgãos ambientais competentes. No caso do licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: ferrovias; portos; terminais de minério, petróleo e produtos químicos; oleodutos, entre outras atividades (especificadas na resolução Conama 001/86), é necessário a elaboração de estudo de impacto ambiental (EIA) e respectivo relatório de impacto ambiental (RIMA), a serem submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da Secretaria Especial do Meio Ambiente (SEMA) em caráter supletivo. A exigência de apresentação de estudos ambientais é importante, pois destina-se verificar  a viabilidade ambiental do negócio a ser instalado ou operado pelo empreendedor, servindo pa

‘POLÍTICA AMBIENTAL: Linha do tempo - Evolução da legislação ambiental brasileira.’

Um breve resumo da legislação ambiental no Brasil de 1906 a 2011. OBS: Por favor, para uma melhor visualização, abrir a imagem em uma nova aba e dar zoom . Fontes:   * Site do Ministério do Meio Ambiente. Acesse Aqui!   * Site do Planalto. Acesse Aqui!