Pular para o conteúdo principal

Inovação no campo de energia eólica

Quando pensamos em energia eólica logo nos vem a mente aqueles cata-ventos gigantes, denominadas tecnicamente de Turbinas Eólicas de Eixo Horizontal (TEEH). Isso porque atualmente os parques eólicos ainda são dominados pelas TEEH. Mas algumas pesquisas que defendem a maior viabilidade das turbinas eólicas de eixo vertical (TEEV), pode fazer mudar esse quadro. Será?

Segundo o instituto americano Sandia National Laboratories, este tipo de turbina  pode permitir o aproveitamento mais eficiente de torres eólicas marítimas de grande altura, em comparação com as tradicionais turbinas de eixo horizontal. Outra vantagem seria a menor frequência e maior facilidade de manutenções, uma vez que os geradores, sistemas de freios, engrenagem ficam ao nível do solo e a diminuição da complexidade de fabricação.

Já os pesquisadores da Caltech, empresa especializada em instalação e eficiência de turbinas,  dizem que as TEEV podem ser uma melhor escolha em termos de eficiência. Por ocupar um espaço menor dos que a TEEH, elas são capazes de gerar dez vezes mais energia por metro quadrado do que a turbina horizontal. De acordo com uma série de testes, realizados pela empresa, os geradores verticais foram capazes de produzir de 21 a 47 watts de força por metro quadrado, enquanto os horizontais geraram apenas dois ou três watts por metro quadrado.

No entanto, ainda estão sendo pesquisadas de fato a viabilidade das TEEV, pois não basta serem eficientes, tem que ser também economicamente viável.


                                                                                       Fonte: Sandia National Laboratories.


Fontes:


Comentários

  1. Olá boa tarde, esse post é muito interessante, uma vez que as turbinas de eixos verticais não tem problemas com Barlavento e Sotavento, recebendo vento a qualquer direção o que possibilita mais energia a produzir. A turbinas destas instaladas nos EUA e que tem um grande potencial de energia adquirido As mais habituais que vemos por aí são as de 3 pás horizontais, mas á as multipás tendo rotor composto entre 12 e 24 pás, usadas geralmente em bombagens de aguas perto de zonas costeiras, ou lugares afastados junto de sistemas híbridos. As Savonius, Darrieus, etc..

    bom tópico este. boa tarde.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Sustentabilidade na Construção Civil - Parte 3: Redução, Reutilização e Reciclagem de Resíduos Sólidos

A indústria de construção civil é uma das que mais utiliza recursos naturais e também uma das maiores geradoras de resíduos, tais como: tijolos,  blocos  cerâmicos,  concreto  em  geral,  solo,  rocha,  madeira,  forro, argamassa, gesso, telha, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica, etc.,
O destino desses resíduos muitas vezes são inadequados, contribuindo para os impactos ambientais, tais como: assoreamento de rios e corrégos, obstrução dos sistemas de drenagem, proliferação de agentes transmissores de doenças, etc.
Assim,  é necessário encontrar formas de reduzir, reutilizar e reciclar  (3 Rs) esses entulhos.
Redução
A redução de resíduos consiste em encontrar maneiras de utilizar ao máximo a matéria prima, evitando desperdícios. Para isso é necessário uma boa elaboração do projeto, especificando o material mais indicado, método construtivo mais adequado, visando sempre a menor produção de resíduos e o aumento da vida útil do edifício.
A co…

Cuidados no dimensionamento e na instalação da cobertura verde

Existem 3 tipos de telhados verdes: o extensivo, o intensivo e o semi-intensivo. Eles se diferenciam pelo porte da vegetação e pela quantidade de solo necessária para seu cultivo. O tipo extensivo tem o aspecto de um jardim, com plantas de pequeno porte como as gramíneas. Já a intensiva comporta plantas de médio a grande porte como os arbustos, samambaias e pequenas árvores.

Independentemente do tipo de cobertura adotada, a laje deve ser dimensionada para suportar cargas equivalentes ao acúmulo de água e ao peso total do sistema.

Camada impermeabilizante

É necessário que a superfície seja impermeabilizada antes da instalação do sistema, isso evita que ocorra infiltrações devido ao acúmulo de água da chuva na cobertura. O tipo de impermeabilizante irá depender do projeto e do gosto do executor. Normalmente é utilizado o PEAD (manta de polietileno de alta densidade), cimento polimérico, manta asfáltica geotêxtil ou com tratamento anti-raiz, dependendo do tipo de vegetação.

Camada drenante

E…