Pular para o conteúdo principal

Telhados e paredes verdes - integração casa e natureza

Nos últimos anos o setor de construção civil tem manifestado um significativo interesse no desenvolvimento de empreendimentos que adotem medidas de sustentabilidade, buscando alternativas que reduzem os efeitos da poluição e ampliem as áreas verdes nos centros urbanos.  Algumas dessas soluções são os telhados e paredes verdes.

Telhados verdes

Também denominado de ‘cobertura verde’, ‘jardim suspenso’, ‘ecotelhado’ ou ‘teto verde’ é uma tipo de cobertura vegetal instalada na cobertura de prédios, residências, etc. Podem ser instalados sobre lajes ou telhados.

É possível fazer um telhado só com gramas.

                  Fonte: Ecotelhado

Ou pode também ser utilizados plantas, e até mesmo podem ser feitas hortas nas coberturas.

               Fonte: Ecotelhado - Loja C&A, Porto Alegre - RS.


Paredes verdes

Também conhecido como ‘jardim vertical’, ‘ecoparede’, ‘fachada verde’, entre outras denominações é um sistema de revestimento de paredes com vegetações.

Para não passar umidade para o prédio, o jardim é montado destacado da parede.

Alguns exemplos:

                               Fonte: Ecotelhado - Brise Vegetal na Feevale, Novo Hamburgo - RS



                                  Fonte: Ecotelhado - Shopping Paseo Zona Sul, Porto Alegre - RS.



    Fonte: Ecotelhado - Banco Sicredi, Pelotas - RS.



Vantagens das paredes e telhados verdes

  • Isolamento térmico - melhoram a eficiência energética do edifício, economizando energia;

  • Melhoram a qualidade do ar exterior e interior e reduzem a emissão de poluentes;

  • Isolamento acústico - diminuem o ruído interior transmitido do exterior através da parede;

  • Retêm e filtram a água da chuva diminuindo o risco de inundações e a contaminação dos rios e ribeiras pela mistura da água que “lava” as ruas e passeios com poluentes;

  • Aumentam a saúde e o bem-estar através da sensação de conforto transmitido pelas plantas e pela natureza;

  • Promovem a biodiversidade de espécies vegetais e animais (insetos, pássaros, etc.) e o equilíbrio da estrutura ecológica urbana;

  • Aumentam as áreas verdes urbanas;

  • Potenciam a criação de hortas urbanas e o cultivo de alimentos próprios;

  • Melhoram a estética do edifício (e da área urbana no geral) aumentando o valor da propriedade;


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

‘POLÍTICA AMBIENTAL: Linha do tempo - Evolução da legislação ambiental brasileira.’

Um breve resumo da legislação ambiental no Brasil de 1906 a 2011.

OBS: Por favor, para uma melhor visualização, abrir a imagem em uma nova aba e dar zoom.





Fontes:
* Site do Ministério do Meio Ambiente. Acesse Aqui!
* Site do Planalto. Acesse Aqui!

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Tratamento de Esgoto - Parte III

Tratamento Primário

No tratamento primário ocorre a remoção dos sólidos em suspensão sedimentáveis e dos sólidos flutuantes, através da utilização de tanques de decantação. Os esgotos passam lentamente pelos decantadores, permitindo que os sólidos em suspensão, possuindo uma densidade maior do que a do líquido, sedimentem gradualmente no fundo. Essa massa de sólidos é denominada lodo primário bruto.
E os sólidos flutuantes, como graxas e óleos, tendo uma menor densidade que o líquido, sobem para a superfície dos decantadores, onde são coletados e removidos do tanque para posterior tratamento.
Os tanques de decantação podem ser circulares ou retangulares.

  Adaptado de Von Sperling, 2005 Atualmente, algumas unidades de tratamento de esgoto, tem susbstituído os decantadores primários por reatores anaeróbios, como os reatores UASB. A remoção de DBO através dos decantadores primários é em torno de 25 a 35%, com o reator UASB passa-se a ter uma eficiência em torno de 70%, possibil…