Pular para o conteúdo principal

Construção Sustentável – Parte IV

Redução do consumo de água

Existem várias formas de evitar os desperdícios de água e aumentar a eficiência do uso desse recurso, buscando o seu menor consumo:

  • Dispositivos economizadores, como bacias  sanitárias de volume  reduzido  ou  com  duplo  acionamento  (3  ou  6L),  torneiras com acionamento hidromecânico ou com sensor de movimento, arejadores  para  torneiras,  mictório, etc.  

    • Segundo estudos os banheiros apresentam mais da metade do consumo de água potável das residências.

  • Medição individualizada

    • A medição individualizada contribui na localização de vazamentos de difícil percepção, além de incentivar a redução do consumo, pois  o consumidor irá pagar proporcionalmente ao volume utilizado.

    • Segundo dados da ANA e FIESP (2005) a economia devido à medição individualizada pode chegar a 25% (PERTEL, 2009).

  • Fontes alternativas de água

    • Coleta de água de chuva;

    • Reúso de água (cinza, amarela, negra);

      • Nem toda água consumida em uma residência precisa ser potável, por exemplo, em descargas sanitárias, lavagem de pátios, irrigação, podem ser reaproveitadas águas da lavagem de roupas, chuveiros e até mesmo dos vasos sanitários dependendo do tipo de sistema de tratamento utilizado.

Referências

* ANA, FIESP & SindusCon-SP. Conservação e Reúso de Água em Edificações. São Paulo:              Prol Editora Gráfica, 2005.

* PERTEL, Monica - Caracterização do Uso de Água e da Energia Associada à Água em uma Edificação Residencial Convencional e uma Dotada de Sistema de Reúso de Águas Cinzas. Vitória. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Espírito Santo, 2009.

 
Veja também:



Comentários

  1. Que referências são estas? Artigos científicos? Livros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe-me, mas realmente esqueci de incluir no final as referências.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

‘POLÍTICA AMBIENTAL: Linha do tempo - Evolução da legislação ambiental brasileira.’

Um breve resumo da legislação ambiental no Brasil de 1906 a 2011.

OBS: Por favor, para uma melhor visualização, abrir a imagem em uma nova aba e dar zoom.





Fontes:
* Site do Ministério do Meio Ambiente. Acesse Aqui!
* Site do Planalto. Acesse Aqui!

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Importância do EIA/RIMA - Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental no licenciamento de empreendimentos

A legislação brasileira e estrangeira estipula aos empreendedores a apresentação de estudos de impacto ambiental para o licenciamento ambiental de atividades econômicas. A definição de quais estudos ambientais serão utilizados vai depender do grau de impacto ambiental envolvido e da análise dos órgãos ambientais competentes.
No caso do licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: ferrovias; portos; terminais de minério, petróleo e produtos químicos; oleodutos, entre outras atividades (especificadas na resolução Conama 001/86), é necessário a elaboração de estudo de impacto ambiental (EIA) e respectivo relatório de impacto ambiental (RIMA), a serem submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da Secretaria Especial do Meio Ambiente (SEMA) em caráter supletivo.
A exigência de apresentação de estudos ambientais é importante, pois destina-se verificar  a viabilidade ambiental do negócio a ser instalado ou operado pelo empreendedor, servindo para preven…