Pular para o conteúdo principal

Medidas para redução do consumo de água em banheiros - Parte 1

O consumo de água em um banheiro depende de vários fatores: tecnologia dos aparelhos sanitários (chuveiro, torneira, vaso), tipo de edificação, época do ano e, principalmente, hábitos dos usuários.

Algumas medidas adotadas na elaboração e manutenção do banheiro podem reduzir consideravelmente o consumo de água nas residências e, consequentemente, a produção de esgoto sanitário.

Equipamentos economizadores de água

Somente a instalação de dispositivos como os arejadores, limitadores de vazão em equipamentos convencionais podem reduzir  a vazão em cerca de 50%.

Os equipamentos economizadores podem ser de dois tipos: os equipamentos de funcionamento hidromecânico, no qual o usuário aciona manualmente o dispositivo de comando e o fechamento ocorre após um tempo pré-determinado e o de sensor de presença, com a presença do usuário o sensor manda sinal para liberar o fluxo de água, quando não é mais identificado a presença do usuário interrompe-se o fluxo.



Disponível em www.dracoeletronica.com.br. [Acessado em 10 de novembro de 2012].

Também já existem no mercado os chuveiros economizadores de água, no qual o jato de água é separado em inúmeras gotículas em alta velocidade, mantendo o conforto do banho, em comparação aos chuveiros convencionais existe uma redução de volume de água de aproximadamente 50%.

Outra forma de economia de água é a instalação de redutores de pressão nos chuveiros convencionais, que mantém a vazão constante dentro da faixa de pressão de 10 mca a 40 mca; e/ou temporizadores hidromecânicos, onde cada o fluxo de água dura em média 30 segundos, o que ajuda a controlar banhos demorados, sendo considerada uma média de 05 acionamentos por banho.

Em relação aos vasos sanitários, uma forma de promover a economia de água e a adoção de descargas econômicas com volume de aproximadamente 6 litros por acionamento:

  • Bacia sanitária de ciclo fixo e volume de descarga de ordem de 6 litros;

  • Bacia sanitária de duplo acionamento, com opção de uso de 3 ou 6 litros;

  • Bacia sanitária com caixa de descarga externa ou embutida com volume de descarga
          de ordem de 6 litros;  

Disponível em www.aecweb.com.br. [Acessado em 29 de agosto de 2012].


  • Bacia sanitária com caixa de descarga pressurizada; e

  • Bacia sanitária com válvula de descarga eletrônica de ciclo fixo e volume de descarga
          de 6 litros.

Outra forma seria a adoção de mictórios, pois utilizam menos que 2 litros de água por acionamento. Aqui no Brasil ainda só existem modelos masculinos mas em outros lugares já podem ser encontrados os mictórios femininos. 

 
Disponível em http://aldojr2.wordpress.com. [Acessado em 10 novembro de 2012].

Podemos citar ainda vasos sanitários secos, que não utilizam água alguma, no qual os dejetos são destinados para  um câmara  onde  a  matéria  orgânica  se  decompõe  e  o  produto  final  pode  ser  utilizado  como adubo. No lugar da descarga, despeja-se um pouco de serragem ao usar o sanitário.

Também existem os vasos sanitários segregadores de urina, que como diz o nome, separa a urina das fezes, podendo a urina ser utilizada como fertilizante na agricultura.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Etapas de um Projeto de Engenharia Civil

Cada projeto tem suas próprias características, mas basicamente um projeto é estruturado de acordo com as seguintes etapas:
Programa de Necessidades
Inicialmente é realizado o Programa de Necessidades, uma das etapas mais importantes na elaboração do projeto. Nessa fase ocorre uma reunião com o cliente, denominado "Reunião de Briefing". Nesse encontro o cliente informa o que ele quer no projeto como quantos cômodos terá a construção, tipo de acabamento, seus gostos e preferências, etc.
Também é realizado um estudo de viabilidade financeira, onde será analisado se a previsão de investimento do cliente será suficiente para fazer tudo que foi acordado ou se será necessário redimensionar o projeto.
E ainda, nessa reunião são coletados os documentos da propriedade para ver se está tudo regularizado. Importante não pular essa etapa pois pode evitar retrabalhos futuras.
Visita ao Local / Levantamento de Dados
Nessa etapa é analisado as questões legais do empreendimento, o estudo do …

Importância do EIA/RIMA - Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental no licenciamento de empreendimentos

A legislação brasileira e estrangeira estipula aos empreendedores a apresentação de estudos de impacto ambiental para o licenciamento ambiental de atividades econômicas. A definição de quais estudos ambientais serão utilizados vai depender do grau de impacto ambiental envolvido e da análise dos órgãos ambientais competentes.
No caso do licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: ferrovias; portos; terminais de minério, petróleo e produtos químicos; oleodutos, entre outras atividades (especificadas na resolução Conama 001/86), é necessário a elaboração de estudo de impacto ambiental (EIA) e respectivo relatório de impacto ambiental (RIMA), a serem submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da Secretaria Especial do Meio Ambiente (SEMA) em caráter supletivo.
A exigência de apresentação de estudos ambientais é importante, pois destina-se verificar  a viabilidade ambiental do negócio a ser instalado ou operado pelo empreendedor, servindo para preven…

‘POLÍTICA AMBIENTAL: Linha do tempo - Evolução da legislação ambiental brasileira.’

Um breve resumo da legislação ambiental no Brasil de 1906 a 2011.

OBS: Por favor, para uma melhor visualização, abrir a imagem em uma nova aba e dar zoom.





Fontes:
* Site do Ministério do Meio Ambiente. Acesse Aqui!
* Site do Planalto. Acesse Aqui!