Pular para o conteúdo principal

Tratamento de esgoto mais eficiente: eliminação de matéria orgânica e nitrogênio em um mesmo reator.


Trata-se de um sistema desenvolvido pelo engenheiro ambiental Rafael Brito de Moura, durante seu mestrado na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP. O equipamente remove o nitrogênio e reduz ao mesmo tempo a quantidade de matéria orgânica de forma mais simples e com menor custo.

O sistema de tratamento

O sistema de tratamento é composto por um único reator, com formato de um cilindro com diâmetro interno de 14,5 cm e 80 cm de altura. Dentro do reator há também outros 13 cilindros ou bastões recobertos por espuma de poliuretano, com 3 cm de diâmetro e 60 cm de altura, que servem como material suporte para o desenvolvimento dos microrganismos responsáveis pelo processo.

Durante a pesquisa foi utilizado esgoto sintético, produzido pelo próprio pesquisador, simulando o efluente sanitário.



Disponível em www.usp.br. [Acessado em 15 de outubro de 2012].

Tratamento

Fixas à espuma de poliuretano, principalmente na região externa de cada cilindro, se desenvolvem as bactérias nitrificantes, enquanto as desnitrificantes se desenvolvem principalmente na área interna da espuma de poliuretano.

O esgoto é colocado no reator e as bactérias nitrificantes atuam oxidando as moléculas de nitrogênio presentes nos detritos e as transformando em nitratos, uma molécula composta por um átomo de nitrogênio e três de oxigênio. Nesta primeira fase, ocorre a oxidação do nitrogênio, necessitando duas horas de aeração no reator.

Na segunda fase, desliga-se a aeração por uma hora para potencializar a atuação das bactérias desnitrificantes, em que o oxigênio é dispensável. Estas bactérias transformam o nitrato em nitrogênio gasoso, que pode ser liberado para a atmosfera. Também ocorre a redução da quantidade de carbono do esgoto, pois para que seja realizada, há a necessidade de obtenção de energia e esta vem a partir da liberação de elétrons dos carbonos presentes nas matérias orgânicas do esgoto, como restos de comida, folhas e animais mortos.

Diferencial do sistema

As bactérias nitrificantes e desnitrificantes apresentam características distintas, sendo que as  primeiras necessitam de oxigênio para seu desenvolvimento enquanto as segundas precisam de um ambiente sem oxigênio. Dessa forma, elas precisam de ambientes distintos para se desenvolverem, por isso, normalmente quando se quer remover nitrôgenio são utilizados dois ou mais reatores. Segundo Moura, a ideia da pesquisa foi desenvolver um reator que permitisse o desenvolvimento dos dois grupos de bactérias em um mesmo ambiente e assim, reduzir custos tanto na operação quanto na construção do sistema.


Mini Glossário

  • Bactérias nitrificantes - transformam o nitrogênio na forma de amônia em nitratos.
  • Bactérias desnitrificantes - transformam nitratos em gás nitrogênio.

Fontes

  • MOURA,  R.  B. Desempenho  de  um reator vertical  de  fluxo  contínuo  e  leito  estruturado com recirculação do efluente, submetido à aeração intermitente, na remoção de carbono e nitrogênio  de  um  efluente  sintético. Dissertação  (Mestrado) – Escola  de  Engenharia  de  São Carlos,  Departamento  de  Hidráulica  e  Saneamento,  Universidade  de  São  Paulo,  São  Carlos, 2011.
  • Reportagem: “Reator único remove nitrogênio e reduz carbono de esgotos” - Site notícias da USP.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Sustentabilidade na Construção Civil - Parte 3: Redução, Reutilização e Reciclagem de Resíduos Sólidos

A indústria de construção civil é uma das que mais utiliza recursos naturais e também uma das maiores geradoras de resíduos, tais como: tijolos,  blocos  cerâmicos,  concreto  em  geral,  solo,  rocha,  madeira,  forro, argamassa, gesso, telha, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica, etc.,
O destino desses resíduos muitas vezes são inadequados, contribuindo para os impactos ambientais, tais como: assoreamento de rios e corrégos, obstrução dos sistemas de drenagem, proliferação de agentes transmissores de doenças, etc.
Assim,  é necessário encontrar formas de reduzir, reutilizar e reciclar  (3 Rs) esses entulhos.
Redução
A redução de resíduos consiste em encontrar maneiras de utilizar ao máximo a matéria prima, evitando desperdícios. Para isso é necessário uma boa elaboração do projeto, especificando o material mais indicado, método construtivo mais adequado, visando sempre a menor produção de resíduos e o aumento da vida útil do edifício.
A co…

Cuidados no dimensionamento e na instalação da cobertura verde

Existem 3 tipos de telhados verdes: o extensivo, o intensivo e o semi-intensivo. Eles se diferenciam pelo porte da vegetação e pela quantidade de solo necessária para seu cultivo. O tipo extensivo tem o aspecto de um jardim, com plantas de pequeno porte como as gramíneas. Já a intensiva comporta plantas de médio a grande porte como os arbustos, samambaias e pequenas árvores.

Independentemente do tipo de cobertura adotada, a laje deve ser dimensionada para suportar cargas equivalentes ao acúmulo de água e ao peso total do sistema.

Camada impermeabilizante

É necessário que a superfície seja impermeabilizada antes da instalação do sistema, isso evita que ocorra infiltrações devido ao acúmulo de água da chuva na cobertura. O tipo de impermeabilizante irá depender do projeto e do gosto do executor. Normalmente é utilizado o PEAD (manta de polietileno de alta densidade), cimento polimérico, manta asfáltica geotêxtil ou com tratamento anti-raiz, dependendo do tipo de vegetação.

Camada drenante

E…