Pular para o conteúdo principal

Sustentabilidade na Construção Civil - Parte 1: Aço

Atualmente, o setor de construção civil tem manifestado um significativo interesse no desenvolvimento de edifícios que adotam medidas de sustentabilidade. No entanto, para ser considerado ecologicamente correto, é necessário considerar todo o ciclo de vida da edificação, desde a sua concepção até o final de sua vida útil, através de medidas que avaliem o impacto da obra em seu entorno, a redução do consumo de energia, água, matéria prima e resíduos, entre outras.

Assim, a escolha dos materiais utilizados na construção é um fator importante para tornar o empreendimento mais sustentável. Dessa forma, nesse primeiro post vamos falar um pouco sobre o uso do aço na construção.

Como material principal ou parte da obra, o aço tem ganhado espaço na área de construção civil. Muitos municípios, como é o caso de Volta Redonda, RJ, conhecido como “Cidade do aço’, têm priorizado o uso de estruturas metálicas em suas obras públicas (pontes, viadutos, passarelas, escolas, estádios, etc.) principalmente, devido ao menor prazo de execução (Fonte: CBCA - Centro Brasileiro de Construção em Aço.) 


Disponível em www.reformafacil.com.b/. [Acessado em 02 de setembro de 2012].

Destacam-se algumas outras vantagens do aço em relação ao concreto:

  • O aço é reutilizável: os coprodutos resultantes da produção do aço podem ser utilizados na construção civil, como por exemplo, na produção de cimento;

  • O aço é reciclável: pode ser reciclado em sua totalidade sem perder nenhuma de suas qualidades e as estruturas podem ser desmontadas e reaproveitadas;


  • Racionalização de materiais e mão de obra: a estrutura metálica possibilita a adoção de sistemas industrializados, fazendo com que o desperdício seja sensivelmente reduzido;

  • Economia de tempo na execução: a maioria dos seus componentes são produzidos fora do canteiro de obra, encurtando o tempo de construção e, consequentemente, minimizando os incômodos causados à vizinhança (com ruídos, poeiras, etc);

  • Flexibilidade: edificações com estrutura em aço oferecem máxima liberdade ao empreendimento, tanto na fase de operação como em futuras adaptações.

  • Maior área útil: as seções dos pilares e vigas de aço são substancialmente mais esbeltas do que as equivalentes em concreto, resultando em melhor aproveitamento do espaço interno e aumento da área útil.

Algumas desvantagens:

  • Corrosão: a maior parte dos aços comerciais está sujeita a problemas de corrosão, necessitando de pintura e manuntenção períodica. Para reduzir os custos com manuntenção pode-se optar por aços resistentes à corrosão.

  • Fornecedores: falta de fornecedores nacionais de componentes industriais para panos, lajes, paredes internas, vedações e juntas;

  • Proteção contra incêndios: medidas adicionais de proteção para aumentar o tempo de
resistência da estrutura metálica ao fogo e falta de normas técnicas brasileiras para dimensionamento de estruturas metálicas em situação de incêndio;

  • Custo elevado: preço elevado da estrutura quando analisada de forma isolada;


Fontes:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reforma de casa também precisa de autorização da prefeitura?

Com o passar do tempo é normal que um imóvel necessite de alguma mudanças, seja devido a alguns degastes ou só por um desejo do morador de renovar a casa, deixando-a mais confortável e bonita. Portanto, antes de iniciar uma obra é importante consultar um especialista na área (arquiteto ou engenheiro civil) para orientar nos procedimentos a serem tomados.

Algumas reformas podem ser realizadas sem a aprovação da prefeitura, como pinturas, substituição de portas e pisos, no entanto, qualquer intervenção que modifique a concepção original, em que haja acréscimo ou supressão de área do imóvel em relação ao projeto original ou que altere a mudança do seu uso (de residencial para comercial, por exemplo) precisam obrigatoriamente de Alvará de Aprovação de Reforma que é solicitado na Prefeitura mediante a apresentação do projeto com as devidas alterações. Também é necessário ficar atentos aos entulhos gerados na reforma, que devem ser descartados em caçambas regularizadas pela prefeitura.
Cada…

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

‘POLÍTICA AMBIENTAL: Linha do tempo - Evolução da legislação ambiental brasileira.’

Um breve resumo da legislação ambiental no Brasil de 1906 a 2011.

OBS: Por favor, para uma melhor visualização, abrir a imagem em uma nova aba e dar zoom.





Fontes:
* Site do Ministério do Meio Ambiente. Acesse Aqui!
* Site do Planalto. Acesse Aqui!