Pular para o conteúdo principal

Olimpíadas de Londres - sustentabilidade no esporte

Para garantir a  redução,  mitigação dos impactos ambientais e sociais gerados pelo evento, foram adotadas algumas soluções ecológicas.

Embora a promessa de transformar as Olimpíadas de Londres na mais “verde” da história não tenha sido completamente cumprida, algumas medidas não serão adotadas apenas para os jogos e permanecerão na capital londrina, trazendo vários benefícios econômicos, sociais e ambientais.

 

Revitalização de zona industrial

 

Uma das medidas de suma importância foi a revitalização de uma antiga zona industrial do distrito de Stratford para a construção do Parque Olímpico. Foram investidos aproximadamente 230 milhões de reais para descontaminar dois milhões de toneladas de solo. O trabalho de recuperação levou cerca de quatro anos.

O complexo de 2,5 quilômetros quadrados, atualmente, possui uma cobertura vegetal de 4 mil árvores e 300 mil plantas aquáticas.

Arenas recicláveis

 

A arena construídas para os jogos olímpidos e paraolímpicos de basquete são totalmente recicláveis. Erguidos dentro dos padrões das construções sustentáveis, toda a estrutura (dos bancos às quadras), ao final dos jogos,  poderá ser desmontada e reutilizada em outras instalações esportivas pelo país. A arena da modalidade pólo aquático também segue os mesmos padrões.

Tecnologias contra a poluição

 

Desde o começo de 2012, as ruas de Londres, receberam uma solução química (acetato de magnésio de cálcio), capaz de atrair as partículas de poeira fina do ar e prendê-las ao asfalto. A poeira capturada é recolhida pelo tráfego ou lavada pela chuva.

Segundo o prefeito Boris Johnson, podem ser reduzidos em até 10% a concentração de partículas de poeira no ar.

Táxis elétricos

 

Desde fevereiro começaram a circular pelas ruas de Londres os primeiros modelos do Fluence Z.E, o sedã da Renault totalmente movido a eletricidade. O veículo é alimentado por baterias de lítio e tem autonomia de 160 quilômetros sem emitir CO2, A tarifa é a mesma que os táxis convencionais.

Ônibus ecológico

O tradicional ônibus vermelho de dois andares foi adaptado para receber de forma mais acessível as pessoas com dificuldade de mobilidade e também gerar menos poluição. Os novos modelos são equipados com uma tecnologia híbrida, usando eletricidade e diesel “verde”, que emite metade dos gases poluentes da versão convencional, e possui o dobro da eficiência no aproveitamento de combustível.

Embalagens biodegradáveis

Todas embalagens de comida e bebidas vendidas dentro parque olímpico e nas arenas dos jogos deverão ser feitas de material biodegradáveis. Aproximadamente, 40% dos resíduos gerados nas instalações olímpicas serão provenientes da alimentação.

Incentivos para deslocamentos por meios alternativos

Como forma de estimular a mobilidade sustentável, reduzir a poluição e os congestionamentos, a prefeitura de Londres pretende recompensar monetariamente quem deixar o carro em casa e ir a pé ou de bicicleta para o trabalho.

A empresa Recyclebank que, em parceria com a companhia de transporte municipal Transport for London (TfL), criou um aplicativo para smartphone capaz de mensurar e pontuar os deslocamentos por meios alternativos de cada pessoa. Quando um usuário digita o destino de sua viagem, o app re.route sugere rotas para percorrer a pé ou de bike. Quem segue uma das vias alternativas ganha cinco pontos de recompensa, que são então convertidos em prêmios resgatáveis na forma de descontos em lojas e cinemas conveniados. Disponível apenas para iPhone, o aplicativo começou a valer em maio e no futuro há planos de gerar uma versão para Android.

Energia solar

Postes em formatos de árvores, com folhas equipadas com células fotovoltaicas captam a energia do sol e transformam em eletricidade. O poste tem galhos de LED que acendem automaticamente quando escurece. A idéia é do designer Ross Lovegrove.

Lixeiras inteligentes

 

Foram instalados desde fevereiro, um moderno e inovador sistema de coleta seletiva: as lixeiras são equipadas com duas telas LCD uma em cada lado, que são sensíveis ao toque e transmitem notícias em tempo real.

A idéia é chamar a atenção da população e dessa forma incentir a coleta seletiva na cidade.

Carrinhos elétricos no aeroporto

 

O principal aeroporto da cidade, Heathrow International, possui um sistema de carrinhos elétricos, sem motoristas, que são utilizados para levar os passageiros do aeroporto aos bolsões de estacionamento e vice-versa. Cada veículo, que comporta até quatro pessoas, trafega sobre uma pista exclusiva a uma velocidade de até 40 km/h e tem emissão reduzida de poluentes.

Fontes:





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Sustentabilidade na Construção Civil - Parte 3: Redução, Reutilização e Reciclagem de Resíduos Sólidos

A indústria de construção civil é uma das que mais utiliza recursos naturais e também uma das maiores geradoras de resíduos, tais como: tijolos,  blocos  cerâmicos,  concreto  em  geral,  solo,  rocha,  madeira,  forro, argamassa, gesso, telha, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica, etc.,
O destino desses resíduos muitas vezes são inadequados, contribuindo para os impactos ambientais, tais como: assoreamento de rios e corrégos, obstrução dos sistemas de drenagem, proliferação de agentes transmissores de doenças, etc.
Assim,  é necessário encontrar formas de reduzir, reutilizar e reciclar  (3 Rs) esses entulhos.
Redução
A redução de resíduos consiste em encontrar maneiras de utilizar ao máximo a matéria prima, evitando desperdícios. Para isso é necessário uma boa elaboração do projeto, especificando o material mais indicado, método construtivo mais adequado, visando sempre a menor produção de resíduos e o aumento da vida útil do edifício.
A co…

Cuidados no dimensionamento e na instalação da cobertura verde

Existem 3 tipos de telhados verdes: o extensivo, o intensivo e o semi-intensivo. Eles se diferenciam pelo porte da vegetação e pela quantidade de solo necessária para seu cultivo. O tipo extensivo tem o aspecto de um jardim, com plantas de pequeno porte como as gramíneas. Já a intensiva comporta plantas de médio a grande porte como os arbustos, samambaias e pequenas árvores.

Independentemente do tipo de cobertura adotada, a laje deve ser dimensionada para suportar cargas equivalentes ao acúmulo de água e ao peso total do sistema.

Camada impermeabilizante

É necessário que a superfície seja impermeabilizada antes da instalação do sistema, isso evita que ocorra infiltrações devido ao acúmulo de água da chuva na cobertura. O tipo de impermeabilizante irá depender do projeto e do gosto do executor. Normalmente é utilizado o PEAD (manta de polietileno de alta densidade), cimento polimérico, manta asfáltica geotêxtil ou com tratamento anti-raiz, dependendo do tipo de vegetação.

Camada drenante

E…