Pular para o conteúdo principal

Selo Sustentável para exportação de calçados

O projeto é uma parceria do Laboratório de Sustentabilidade (Lassu), do Departamento de Engenharia de COmputação e Sistemas Digitais da Escola Politécnica (Poli) da Universidade de São Paulo (USP) com a Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal).

A idéia é criar um selo que será concedido às empresas que apresentarem processos que contemplem os quatro pilares da sustentabilidade – aspectos ambientais, econômicos, sociais e culturais, em toda a sua cadeia produtiva.

Por exemplo, no aspecto econômico, serão avaliados o uso racional de matérias-primas,  economia de água e energia, entre outros. No ambiental, serão considerados a substituição de substâncias tóxicas, como o cromo, no amaciamento do couro, pelo uso de tanino. No aspecto social a empresa deverá implementar programas de saúde preventiva, segurança no trabalho, concessão de benefícios trabalhistas adicionais aos previstos por lei, como bolsas de estudo e incentivos à educação, além do não uso de mão de obra infantil. E o aspecto cultural serão observados como o quanto a empresa interage de forma positiva com a comunidade, desenvolvendo ações para preservar a cultura local.

O Selo de Sustentabilidade terá quatro classificações: branco, bronze, prata, ouro e diamante. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e a SGS são empresas certificadoras que participaram da iniciativa.

O pré-lançamento do Selo aconteceu no dia 25/07/12 durante o IV Seminário Internacional de Design, em São Paulo.

Fontes:
* Aritgo: Selo de Sustentabilidade favorece exportação de calçados - Agência USP de Notícias.
* Artigo: Selo verde pode incentivar produção de sapato sustentável - Agência USP de Notícias.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que é necessário para um projeto ser aprovado na prefeitura?

No Brasil, praticamente todas as prefeituras exigem os mesmos documentos, dados e informações na aprovação de um projeto. Em geral, para que um projeto seja aprovado em uma prefeitura ele deve conter informações suficientes para que a obra seja construída.
No mínimo o projeto deve ter: planta baixa, planta de locação, planta de cobertura, planta de situação, 02 cortes, 02 elevações e, em casos de obras mais complexas podem ser necessários mais detalhamentos.
Planta Baixa

Planta baixa é a projeção de um corte horizontal imaginário à uma altura que normalmente é de 1,50 m do piso de uma construção futura. Essa altura é utilizada por ser ideal para captar os vãos das aberturas, como portas, janelas, basculas, para serem vistos e representados em planta.
A planta nos permite visualizar e entender como ficará a construção: locais das paredes, vãos, cômodos, etc. Haverá uma planta baixa para cada um dos pavimentos da edificação. Fonte: Manual do Arquiteto.
Elevações
As elevações são desenhos,…

Etapas de um Projeto de Engenharia Civil

Cada projeto tem suas próprias características, mas basicamente um projeto é estruturado de acordo com as seguintes etapas:
Programa de Necessidades
Inicialmente é realizado o Programa de Necessidades, uma das etapas mais importantes na elaboração do projeto. Nessa fase ocorre uma reunião com o cliente, denominado "Reunião de Briefing". Nesse encontro o cliente informa o que ele quer no projeto como quantos cômodos terá a construção, tipo de acabamento, seus gostos e preferências, etc.
Também é realizado um estudo de viabilidade financeira, onde será analisado se a previsão de investimento do cliente será suficiente para fazer tudo que foi acordado ou se será necessário redimensionar o projeto.
E ainda, nessa reunião são coletados os documentos da propriedade para ver se está tudo regularizado. Importante não pular essa etapa pois pode evitar retrabalhos futuras.
Visita ao Local / Levantamento de Dados
Nessa etapa é analisado as questões legais do empreendimento, o estudo do …

Importância do EIA/RIMA - Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental no licenciamento de empreendimentos

A legislação brasileira e estrangeira estipula aos empreendedores a apresentação de estudos de impacto ambiental para o licenciamento ambiental de atividades econômicas. A definição de quais estudos ambientais serão utilizados vai depender do grau de impacto ambiental envolvido e da análise dos órgãos ambientais competentes.
No caso do licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: ferrovias; portos; terminais de minério, petróleo e produtos químicos; oleodutos, entre outras atividades (especificadas na resolução Conama 001/86), é necessário a elaboração de estudo de impacto ambiental (EIA) e respectivo relatório de impacto ambiental (RIMA), a serem submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da Secretaria Especial do Meio Ambiente (SEMA) em caráter supletivo.
A exigência de apresentação de estudos ambientais é importante, pois destina-se verificar  a viabilidade ambiental do negócio a ser instalado ou operado pelo empreendedor, servindo para preven…