Pular para o conteúdo principal

RIO+20: Sustentabilidade na organização do evento

Foram adotadas pela organização do evento, ações para reduzir, mitigar ou compensar os impactos ambientais e sociais gerados pela conferência, tais como:

  • Gestão das emissões de gases de efeito estufa
      • Serão elaborados inventários (pré e pós conferência) sobre as emissões de gases do efeito estufa (GEE), ambos incluindo fontes de energia elétrica, combustíveis utilizados nos principais espaços oficiais da conferência e nos veículos terrestres oficiais, disposição de resíduos e viagens aéreas dos delegados credenciados e do Secretariados das Nações Unidas.
      • A estratégia de compensação de emissões será feita por meio de Reduções Certificadas de Emissão (RCEs), oriundas de projetos brasileiros do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), doadas por empresas brasileiras.
      • E, para viabilizar a compensação das emissões de viagens aéreas, o Governo brasileiro criou, em parceria com a Caixa Econômica Federal e PNUD Brasil, uma ferramenta digital que possibilitará aos participantes calcular suas emissões de GEE nos voos para o Rio e comprar Reduções Certificadas de Emissão (RCEs) para compensá-las.

  • Recursos hídricos
      • Os sistemas hidrossanitários nos espaços oficiais da Conferência incluem mecanismos redutores de vazão, com arejadores temporizadores.
      • Há também, banheiros a vácuo, que reduzem o desperdício de água em até 80%.
      • Alguns locais oficiais incluem ainda sistema de reaproveitamento de água pluvial.

  • Resíduos sólidos
      • Os resíduos recicláveis serão destinados às cooperativas de catadores.
      • Os resíduos não recicláveis serão dispostos em aterro sanitário.
      • Os resíduos compostáveis serão encaminhados para a produção de adubo.
      • As pilhas e baterias serão destinadas para reciclagem de seus componentes.
      • A sinalização dos coletores estará em português, inglês e braile, sempre que possível.
      • A coleta seletiva contará com a atuação de cooperativas de catadores, que estarão distribuídos em locais oficiais para atuar como educadores ambientais, orientando sobre o sistema de coleta seletiva proposto.

  • Energia
      • Os geradores do evento utilizarão B20, óleo diesel com 20% de biodiesel.
      • Nas áreas temporárias, serão utilizados equipamentos etiquetados pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem nas faixas de mais alta eficiência, como condicionadores de ar e tecnologias de iluminação como LEDs e lâmpadas fluorescentes de última geração. A redução do consumo é estimada em 38 MWh, e corresponde à média de consumo de energia de 700 residências ao longo do período da Conferência.

  • Transporte
      • A frota de carros oficias utilizará motores de combustível duplo (ou bicombustível) e os demais veículos oficiais serão movidos a biodiesel e a gasolina E20-25 (com 20% a 25% de etanol na mistura).  
      • Os espaços oficiais contarão com bicicletários, de forma a incentivar o uso de transporte não motorizado.
      • Também contará com esquema especial de transporte coletivo para substituir quando possível o uso de transporte individual.

  • Construções sustentáveis
      • A organização desenvolveu diretrizes de sustentabilidade a serem seguidas pelos fornecedores de serviços de construção e montagem das áreas temporárias.

  • Compras públicas sustentáveis
      • Os processos de aquisição e licitação de produtos e serviços da organização incluíram critérios de sustentabilidade, tais como compra de equipamentos de alta eficiência energética, uso de madeira certificada e utilização de materiais reciclados.

  • Turismo sustentável
      • As ações em turismo sustentável fundamentam-se no Programa Passaporte Verde e na adoção de boas práticas no setor hoteleiro envolvido na Conferência. A Campanha Global Passaporte Verde é uma iniciativa da Força Tarefa Internacional para o Desenvolvimento do Turismo Sustentável e está fundamentada nas políticas de Consumo e Produção Sustentáveis.

  • Alimentos sustentáveis
      • O Riocentro terá restaurantes que oferecerão alimentos orgânicos, da agricultura familiar, de acordo com os princípios da gastronomia inclusiva e que respeitem particularidades das diferentes culturas presentes no evento.
      • O comitê organizador elaborou um documento intitulado “Diretrizes de Sustentabilidade para as Empresas de Alimentação” a fim de orientar sobre as boas práticas sustentáveis no setor.


Fonte:
* Site Oficial da Rio+20

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

‘POLÍTICA AMBIENTAL: Linha do tempo - Evolução da legislação ambiental brasileira.’

Um breve resumo da legislação ambiental no Brasil de 1906 a 2011.

OBS: Por favor, para uma melhor visualização, abrir a imagem em uma nova aba e dar zoom.





Fontes:
* Site do Ministério do Meio Ambiente. Acesse Aqui!
* Site do Planalto. Acesse Aqui!

Etapas de um Projeto de Engenharia Civil

Cada projeto tem suas próprias características, mas basicamente um projeto é estruturado de acordo com as seguintes etapas:
Programa de Necessidades
Inicialmente é realizado o Programa de Necessidades, uma das etapas mais importantes na elaboração do projeto. Nessa fase ocorre uma reunião com o cliente, denominado "Reunião de Briefing". Nesse encontro o cliente informa o que ele quer no projeto como quantos cômodos terá a construção, tipo de acabamento, seus gostos e preferências, etc.
Também é realizado um estudo de viabilidade financeira, onde será analisado se a previsão de investimento do cliente será suficiente para fazer tudo que foi acordado ou se será necessário redimensionar o projeto.
E ainda, nessa reunião são coletados os documentos da propriedade para ver se está tudo regularizado. Importante não pular essa etapa pois pode evitar retrabalhos futuras.
Visita ao Local / Levantamento de Dados
Nessa etapa é analisado as questões legais do empreendimento, o estudo do …

Importância do EIA/RIMA - Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental no licenciamento de empreendimentos

A legislação brasileira e estrangeira estipula aos empreendedores a apresentação de estudos de impacto ambiental para o licenciamento ambiental de atividades econômicas. A definição de quais estudos ambientais serão utilizados vai depender do grau de impacto ambiental envolvido e da análise dos órgãos ambientais competentes.
No caso do licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: ferrovias; portos; terminais de minério, petróleo e produtos químicos; oleodutos, entre outras atividades (especificadas na resolução Conama 001/86), é necessário a elaboração de estudo de impacto ambiental (EIA) e respectivo relatório de impacto ambiental (RIMA), a serem submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da Secretaria Especial do Meio Ambiente (SEMA) em caráter supletivo.
A exigência de apresentação de estudos ambientais é importante, pois destina-se verificar  a viabilidade ambiental do negócio a ser instalado ou operado pelo empreendedor, servindo para preven…