Pular para o conteúdo principal

Economia Ambiental

Durante muito tempo o homem ignorou o fato dos recursos serem escassos. Considerava o ar, a água, o solo, os animais, a vegetação, enfim, que todos os recursos naturais eram abundantes e acessíveis a todos sem custos.

No entanto, a partir da segunda metade do século XX, a humanidade começou a se dar conta de que esses recursos não eram inesgotáveis e que a ausência de algum deles poderia afetar a sobrevivência do homem, daí surgia a Economia Ambiental.

Com o aumento populacional cresceu o consumo dos recursos ambientais e a quantidade de resíduos e, o meio ambiente por sua vez, não tem conseguido absorver esses impactos e nem renovar-se. Os recursos disponíveis na natureza são insuficientes para satisfazer o homem. 

Dessa forma torna-se necessário encontrar meios de aproveitarmos ao máximo esses elementos naturais, ou seja, formas de aumentar a produção com o mínimo de recursos.

Por exemplo, somente um terço da cana é utilizado para produção de etanol, o restante é fibra, uma biomassa não fermentável, ou seja, na maioria das vezes os dois terços são descartados. Por isso novas pesquisas tentam converter a fibra ou celulose em etanol, o chamado etanol de segunda geração. Assim, teríamos um aumento na produção de combustíveis sem a necessidade de aumentar a área plantada. Isso é economia ambiental.

A economia ambiental busca formas de se lucrar sem destruir o meio ambiente. Algumas empresas já adotam medidas para desenvolver programas de gestão responsável das questões econômicas, ambientais e sociais, de maneira integrada, visando diminuir os impactos provocados ao meio.

A partir do momento que começarmos atribuir preços aos recursos naturais, a sua preservação será mais provável, um exemplo é a outorga do direito de uso dos recursos hídricos. Estamos acostumados a valorizar somente o que afeta o nosso bolso.

Fonte:
*   PHILIPPI JR., ROMERO, M.A, BRUNA, G.C. Curso de Gestão Ambiental. Manole, 2004.

Comentários

  1. Oi, Josiane. Encontrei uma postagem antiga sua sobre um avião movido à energia solar, estava pesquisando sobre esse assunto. Então, parei para dar uma olhada no seu blog. Sei que os assuntos são diferentes, mas, se você puder, dê uma olhada no blog que eu escrevo. O endereço é esse: http://pedrodacostapereira.blogspot.com.br/
    Espero que possa ser útil de alguma maneira para você. Abraço, Pedro.

    ResponderExcluir
  2. Ei Pedro! vi seu blog! muito bacana! Abraços!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

‘POLÍTICA AMBIENTAL: Linha do tempo - Evolução da legislação ambiental brasileira.’

Um breve resumo da legislação ambiental no Brasil de 1906 a 2011.

OBS: Por favor, para uma melhor visualização, abrir a imagem em uma nova aba e dar zoom.





Fontes:
* Site do Ministério do Meio Ambiente. Acesse Aqui!
* Site do Planalto. Acesse Aqui!

Importância do EIA/RIMA - Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental no licenciamento de empreendimentos

A legislação brasileira e estrangeira estipula aos empreendedores a apresentação de estudos de impacto ambiental para o licenciamento ambiental de atividades econômicas. A definição de quais estudos ambientais serão utilizados vai depender do grau de impacto ambiental envolvido e da análise dos órgãos ambientais competentes.
No caso do licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: ferrovias; portos; terminais de minério, petróleo e produtos químicos; oleodutos, entre outras atividades (especificadas na resolução Conama 001/86), é necessário a elaboração de estudo de impacto ambiental (EIA) e respectivo relatório de impacto ambiental (RIMA), a serem submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da Secretaria Especial do Meio Ambiente (SEMA) em caráter supletivo.
A exigência de apresentação de estudos ambientais é importante, pois destina-se verificar  a viabilidade ambiental do negócio a ser instalado ou operado pelo empreendedor, servindo para preven…

Etapas de um Projeto de Engenharia Civil

Cada projeto tem suas próprias características, mas basicamente um projeto é estruturado de acordo com as seguintes etapas:
Programa de Necessidades
Inicialmente é realizado o Programa de Necessidades, uma das etapas mais importantes na elaboração do projeto. Nessa fase ocorre uma reunião com o cliente, denominado "Reunião de Briefing". Nesse encontro o cliente informa o que ele quer no projeto como quantos cômodos terá a construção, tipo de acabamento, seus gostos e preferências, etc.
Também é realizado um estudo de viabilidade financeira, onde será analisado se a previsão de investimento do cliente será suficiente para fazer tudo que foi acordado ou se será necessário redimensionar o projeto.
E ainda, nessa reunião são coletados os documentos da propriedade para ver se está tudo regularizado. Importante não pular essa etapa pois pode evitar retrabalhos futuras.
Visita ao Local / Levantamento de Dados
Nessa etapa é analisado as questões legais do empreendimento, o estudo do …