Pular para o conteúdo principal

Plantio Direto: produzindo com sustentabilidade!

A população mundial já ultrapassa os 7 bilhões de habitantes, com esse crescimento aumenta-se o consumo por produtos, serviços e, principalmente por alimento. No entanto, é necessário produzir alimentos em qualidade e quantidade suficiente para atender a demanda atual sem comprometer a demanda das gerações futuras.

Dessa forma, o plantio direto contribui de forma decisiva para o manejo sustentável dos recursos naturais uma vez que proporciona vários benefícios ao meio ambiente, quando comparado a outras técnicas de cultivo.

  • O que seria o Plantio Direto?

O plantio direto é uma técnica de cultivo, no qual, consiste em preparar o solo uma única vez, deixando-o sempre coberto por plantas em desenvolvimento e por resíduos vegetais. Essa cobertura visa protegê-lo do impacto das chuvas, consequentemente, reduzindo o escoamento superficial, resultando em infiltrações lentas (devido a proteção)  e reduzindo as erosões.

A técnica permite uma diversificação na cultura de grãos, existe a chamada rotação de culturas. A combinação de espécies com diferentes exigências nutricionais, velocidade de decomposição, torna o sistema mais produtivo, evita-se a monocultura e ainda facilita o controle de pragas, doenças e ervas daninhas.

No sistema de cultivo tradicional o campo era cultivado uma única vez ao ano, com o plantio direto os tratores seguem logo atrás das colhedeiras plantando, em uma operação quase que simultânea. Enquanto que em outros lugares o normal é ter uma safra por ano, o Brasil está na segunda e chegando à terceira safra anual. Com essa técnica o volume de grãos cresce e o de hectares permanece estável, assim, de onde se tirava mil quilos de grãos, hoje é possível colher mais de 10 mil quilos por ano (Fonte: Reportagem do Globo Rural-”Plantio direto contribui para aumento da produção brasileira de grãos”).

  • Resultados na prática
 
    • O pesquisador Darci Ferrarin, adepto do plantio direto, explora quatro mil hectares de grãos no município de Sorriso - MT. Segundo ele, no início do plantio era utilizado cerca de 600 quilos de fertilizante por hectare. Com o decorrer do tempo e com a formação de tanta palhada e matéria orgânica, o consumo de fertilizante químico foi reduzido em 50%. Além dessa economia, também houve aumento da produção. (Fonte: Reportagem do Globo Rural-”Plantio direto contribui para aumento da produção brasileira de grãos”)

    • O produtor Herbert Bartz, do município de Rolândia, no norte do Paraná, pioneiro na experiência de plantar em clima tropical, diz que com o novo sistema gasta muito menos diesel em relação ao o convencional. “Em vez de gastar dez mil litros de diesel, nós gastávamos de 3 mil a 3,5 mil litros. Então, era uma fantástica redução de combustível”, calculou Bartz. (Fonte: Reportagem do Globo Rural-”Plantio direto contribui para aumento da produção brasileira de grãos”)

  • As vantagens para o meio ambiente

    • Com o terreno sempre coberto de palha, a absorção é maior e há menor arrasto de material para os cursos d’água, evitando o assoreamento de rios.

    • O pesquisador Carlos Cerri, professor da Esalq, a Escola Superior de Agricultura Luis de Queiroz, recebeu um importante prêmio da Embrapa por suas pesquisas sobre emissão de carbono. De acordo com Cerri, o plantio direto faz com que haja menor emissão de gases do efeito estufa para a atmosfera, por não revolver o solo. Além disso, a parte da palha que fica na superfície do solo, com a decomposição pelos organismos do solo, é incorporada no solo fazendo o que chamamos de sequestro de carbono pelo solo (Reportagem do Globo Rural:”Plantio direto contribui para aumento da produção brasileira de grãos”).

    • O plantio direto também permite a redução de fertilizantes, e devido a proteção do solo, esses produtos químicos não são escoados para os rios, evitando a sua contaminação e, consequentemente, a redução no custo de potabilização da água.

    • A técnica também permite a redução de combustíveis fósseis por unidade de área.  
 
Fontes:

* Reportagem do Globo Rural:”Técnicas usadas no campo ajudam a reduzir o aquecimento global.”
* Reportagem do Globo Rural:”Plantio direto contribui para aumento da produção brasileira de grãos”.
* Site da EMBRAPA.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Etapas de um Projeto de Engenharia Civil

Cada projeto tem suas próprias características, mas basicamente um projeto é estruturado de acordo com as seguintes etapas:
Programa de Necessidades
Inicialmente é realizado o Programa de Necessidades, uma das etapas mais importantes na elaboração do projeto. Nessa fase ocorre uma reunião com o cliente, denominado "Reunião de Briefing". Nesse encontro o cliente informa o que ele quer no projeto como quantos cômodos terá a construção, tipo de acabamento, seus gostos e preferências, etc.
Também é realizado um estudo de viabilidade financeira, onde será analisado se a previsão de investimento do cliente será suficiente para fazer tudo que foi acordado ou se será necessário redimensionar o projeto.
E ainda, nessa reunião são coletados os documentos da propriedade para ver se está tudo regularizado. Importante não pular essa etapa pois pode evitar retrabalhos futuras.
Visita ao Local / Levantamento de Dados
Nessa etapa é analisado as questões legais do empreendimento, o estudo do …

Importância do EIA/RIMA - Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental no licenciamento de empreendimentos

A legislação brasileira e estrangeira estipula aos empreendedores a apresentação de estudos de impacto ambiental para o licenciamento ambiental de atividades econômicas. A definição de quais estudos ambientais serão utilizados vai depender do grau de impacto ambiental envolvido e da análise dos órgãos ambientais competentes.
No caso do licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: ferrovias; portos; terminais de minério, petróleo e produtos químicos; oleodutos, entre outras atividades (especificadas na resolução Conama 001/86), é necessário a elaboração de estudo de impacto ambiental (EIA) e respectivo relatório de impacto ambiental (RIMA), a serem submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da Secretaria Especial do Meio Ambiente (SEMA) em caráter supletivo.
A exigência de apresentação de estudos ambientais é importante, pois destina-se verificar  a viabilidade ambiental do negócio a ser instalado ou operado pelo empreendedor, servindo para preven…

‘POLÍTICA AMBIENTAL: Linha do tempo - Evolução da legislação ambiental brasileira.’

Um breve resumo da legislação ambiental no Brasil de 1906 a 2011.

OBS: Por favor, para uma melhor visualização, abrir a imagem em uma nova aba e dar zoom.





Fontes:
* Site do Ministério do Meio Ambiente. Acesse Aqui!
* Site do Planalto. Acesse Aqui!