Pular para o conteúdo principal

'GRANDES IDÉIAS: Agricultura nas alturas.'

Alguns pesquisadores vêm trabalhando na idéia de produzir alimentos em prédios, denominado de Fazenda Vertical. Trata-se de fazendas construída em edíficios, cada andar ou módulo seria responsável por alguns tipos de plantações ou criações de animais de pequeno porte.

A idéia surgiu da grande demanda de alimentos, uma vez que a população mundial já ultrapassa os sete bilhões de pessoas. Para aumentar a produção agrícola é necessário grandes áreas de cultivo, na maioria das vezes sendo imprescíndivel os desmatamentos.

Algumas Vantagens:
  • As fazendas verticais reduziriam os desmatamentos de áreas para cultivo, conservando os ecossistemas naturais.
  • O cultivo hidropônico,  evitaria os desperdícios de água e nutrientes, devido ao sistema de irrigação em circuito fechado.
  • Redução de gastos com transporte de alimentos das zonas rurais para as cidades e, consequentemente, diminuição de emissão de poluentes.
  • As plantações ocorreriam durante todo o ano, sem preocupação com o tempo, secas e desastres naturais.
  • Produção de alimentos mais saudáveis, com cultivos mais orgânico, sem fertilizantes, livre de doenças e pragas.

Algumas Desvantagens:
  • Demanda de muita energia na utilização da iluminação, movimentação das plantas, bombeamento de água e nutrientes e na manutenção de uma temperatura ótima.
  • O custo da produção em fazendas verticais é alto. Terrenos em áreas urbanas e as tecnologias utilizadas têm custos bastante elevados.


Projetos em Andamento

  • Cidade de Linkoping - sul da Suécia

A empresa sueco-americana Plantagon, é responsável pelo projeto de uma mega estufa urbana vertical para a produção de alimentos na cidade de Linkoping, no sul da Suécia.

O prédio terá 54 metros de altura com cerca de 12 pavimentos. Cada andar poderá abrigar uma cultura diferente de vegetais e hortaliças. Pretende-se reduzir gastos com energia, transporte e irrigação. A fachada inteira será feita de vidro, o que facilitará a entrada de luz solar para a fotossíntese das plantas, que serão cultivadas em vasos ordenados sobre bandejas circulares em torno de uma hélice central. Os resíduos vegetais que sobrarem da colheita serão transformados em biogás, que servirá como fonte de energia para o sistema de aquecimento e arrefecimento do efeito estufa.

A mega estufa, orçado em cerca de 30 milhões de dólares, já foi aprovada pela prefeitura de Linkoping e encontra-se em fase de planejamento. Estima-se o prazo de 2 anos para a conclusão da obra. 

  • Cidade de Den Bosch - Holanda

O PlantLab, laboratório de alta tecnologia, na cidade de Den Bosch, na Holanda, tem trabalhado na produção de frutas, hortaliças e flores com o uso de iluminação LED, a mesma utilizada em muitos aparelhos eletrônicos (ex. monitores de televisão, etc.).

O conjunto: LED e cultivo em estufa com temperatura e água controladas, permitem a produção em menor tempo, com economia de energia e água. Além disso, com o controle da temperatura interna, é possível instalar as fazendas verticais em qualquer lugar do planeta, independente do clima.

No projeto da PlantLab, cada cultura é estuda em determinado ambiente, estabelecendo receitas onde a exposição à luz, a temperatura e a quantidade de água variam. Quase todo o processo é automatizado e os computadores controlam as necessidades de cada lavoura.

Estudos realizados até o momento, chegaram a conclusão que um prédio de 14 andares, com 100 metros quadrados de área por andar, seria suficiente para fornecer alimento para uma cidade de 100 mil habitantes. No entanto, a tecnologia necessária ainda é muito cara e sofisticada.

A tendência é que futuramente essas construções tornem-se mais simples e adaptáveis, de forma a aproveitar coberturas de prédios residências, comercias e prédios abandonados. A utilização de energia solar, aproveitamento da água, entre outras tecnologias também podem contribuir para a redução dos custos das fazendas verticais e assim a sua propagação pelo mundo.

Mini Glossário:
LEDs - são diodos emissores de luz, componentes eletrônicos feitos à base de silício, que têm como vantagem o baixo consumo de energia e a alta durabilidade.


Fontes:
* Exame.com - Reportagem: “Cidade sueca vai produzir alimentos nas alturas”.

* G1 - Reportagem: “Holanda testa produção de frutas e hortaliças em fazenda vertica”.

* The vertical Farm - Dickson Despommier

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Sustentabilidade na Construção Civil - Parte 3: Redução, Reutilização e Reciclagem de Resíduos Sólidos

A indústria de construção civil é uma das que mais utiliza recursos naturais e também uma das maiores geradoras de resíduos, tais como: tijolos,  blocos  cerâmicos,  concreto  em  geral,  solo,  rocha,  madeira,  forro, argamassa, gesso, telha, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica, etc.,
O destino desses resíduos muitas vezes são inadequados, contribuindo para os impactos ambientais, tais como: assoreamento de rios e corrégos, obstrução dos sistemas de drenagem, proliferação de agentes transmissores de doenças, etc.
Assim,  é necessário encontrar formas de reduzir, reutilizar e reciclar  (3 Rs) esses entulhos.
Redução
A redução de resíduos consiste em encontrar maneiras de utilizar ao máximo a matéria prima, evitando desperdícios. Para isso é necessário uma boa elaboração do projeto, especificando o material mais indicado, método construtivo mais adequado, visando sempre a menor produção de resíduos e o aumento da vida útil do edifício.
A co…

Cuidados no dimensionamento e na instalação da cobertura verde

Existem 3 tipos de telhados verdes: o extensivo, o intensivo e o semi-intensivo. Eles se diferenciam pelo porte da vegetação e pela quantidade de solo necessária para seu cultivo. O tipo extensivo tem o aspecto de um jardim, com plantas de pequeno porte como as gramíneas. Já a intensiva comporta plantas de médio a grande porte como os arbustos, samambaias e pequenas árvores.

Independentemente do tipo de cobertura adotada, a laje deve ser dimensionada para suportar cargas equivalentes ao acúmulo de água e ao peso total do sistema.

Camada impermeabilizante

É necessário que a superfície seja impermeabilizada antes da instalação do sistema, isso evita que ocorra infiltrações devido ao acúmulo de água da chuva na cobertura. O tipo de impermeabilizante irá depender do projeto e do gosto do executor. Normalmente é utilizado o PEAD (manta de polietileno de alta densidade), cimento polimérico, manta asfáltica geotêxtil ou com tratamento anti-raiz, dependendo do tipo de vegetação.

Camada drenante

E…