Pular para o conteúdo principal

Ranking - 10 países líderes em energia eólica

De acordo com o relatório do Global Wind Energy Council (GWEC), o setor de energia eólica cresceu 21% em 2011. O período considerado na pesquisa foi de 1996 a 2011. Vejamos os 10 países que lideram o ranking.

  1. China - responsável por 62,7 mil megawatts (MW) instalados (26,3% participação global) entre 1996 e 2011. Trata-se de 40 vezes a capacidade eólica total do Brasil (1,5 mil MW).  Em 2011, a China tomou frente ao processo de expansão, instalando mais 18 mil MW, quase metade do total mundial registrado no período.
  1. Estados Unidos - capacidade eólica acumulada de 46,9 mil MW, correspondentes a 19,7% do total mundial. Foi responsável pelo segundo maior investimento no setor, em 2011, instalando cerca de 6,8 mil MW, equivalente a 17% do total mundial.
  1. Alemanha - o país registra uma capacidade eólica total de 29 mil MW, respondendo por 12,2% do acumulado mundial. Foi o quarto país que mais contribuiu para o crescimento do setor no ano passado, com mais de 2,086 MW instalados, correspondentes a 5% da participação total.
  1. Espanha - atingiu em 15 anos, cerca de 21,6 mil MW, o que representa 9,1% do potencial mundial. Apesar da crise, o país em 2011, teve o sétimo maior crescimento no setor, registrando aumento de mil MW, equivalentes a 2,5% participação global.
  1. Índia - apresentou capacidade eólica acumulada de 16 mil MW, equivalente a 6,7%. Em 2011, o país apresentou aumento de 3 mil MW, cerca de 7% do toral investido no mundo, ocupando o terceiro maior resultado.
  1. França - acumulou uma capacidade eólica de 6,8 mil MW, o que representa 2,9% da participação global. Em 2011, o país obteve aumento de 830 MW, respondendo por 2% do crescimento mundial.
  1. Itália - acumulou 6,7 mil MW em capacidade instalada, equivalente a 2,8% da paticipação mundial. Teve o oitavo lugar de maior crescimento no setor, com 950 MW, o que representa 2,3%.
  1. Reino Unido - apresentou 6,5 mil MW em projetos eólicos, correspondentes a 2,7% da participação mundial. Em 2011, o país registrou aumento de 1,3 mil MW, cerca de 3,1% dos investimentos globais.
  1. Canadá - acumulou um total de 5,2 mil MW, representando 2,2% do potencial mundial. No ano passado, o país apresentou a sexta maior expansão do período, com mais de 1,2 mil MW, correspondentes a 3,1% do total mundial.
  1. Portugal - corresponde por 1,7% da capacidade de geração eólica total instalada no mundo, acumulando 4 mil MW em projetos eólicos

     Adaptado de GWEC.

    Fontes:

    * GWEC - Global Wind Energy Council - Release of global wind statistics: Wind Energy Powers Ahead Despite Economic Turmoil.

    * Exame.com


Comentários

  1. este artigo é uma excelente informação, pena o brasil não ter os olhos abertos as energias renováveis, tanto em eólicas, como fotovoltáicas e sistemas AQS, assim o meio ambiente agradeceria e viveriamos muito melhor. o brasil deveria fazer como nos países europeus onde o governo bonifica quem instala um sistema de energias renováveis, tanto em sistemas autônomos, quanto grande investimento como parques eólicos, pra já boa iniciativa a sua de criar este site. Sou formado, Técnico em Energias Renováveis Eólico, Fotovoltáico e sistema térmico .

    ResponderExcluir
  2. Boa iniciativa em criar este site e detalhar certas informações importantes para o meio ambiente. Sou formado Técnico em Energias Renováveis Eólico, Fotovoltáico e sistema solar térmico. O Brasil deveria seguir exemplos dos países europeus e incentivar nos custos de instalações de Energias Renováveis reduzindo nos impostos de quem instalassem, assim era uma forma de poupar financeiramente pra as pessoas e contribuia com o MEIO AMBIENTE.

    ResponderExcluir
  3. bela iniciativa a sua de colocar tópicos com energias renováveis, isso pra assim abrir os olhos do povo brasileiro e ver que está tecnologia além de ser econômica, contribui para o meio ambeiente.

    Sou Técnico em Energias Renováveis Eólica, Fotovoltáica e sistema Térmico (AQS).

    Este seu blog é muito bom continue assim a divulgar informações importantes como essa.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Sustentabilidade na Construção Civil - Parte 3: Redução, Reutilização e Reciclagem de Resíduos Sólidos

A indústria de construção civil é uma das que mais utiliza recursos naturais e também uma das maiores geradoras de resíduos, tais como: tijolos,  blocos  cerâmicos,  concreto  em  geral,  solo,  rocha,  madeira,  forro, argamassa, gesso, telha, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica, etc.,
O destino desses resíduos muitas vezes são inadequados, contribuindo para os impactos ambientais, tais como: assoreamento de rios e corrégos, obstrução dos sistemas de drenagem, proliferação de agentes transmissores de doenças, etc.
Assim,  é necessário encontrar formas de reduzir, reutilizar e reciclar  (3 Rs) esses entulhos.
Redução
A redução de resíduos consiste em encontrar maneiras de utilizar ao máximo a matéria prima, evitando desperdícios. Para isso é necessário uma boa elaboração do projeto, especificando o material mais indicado, método construtivo mais adequado, visando sempre a menor produção de resíduos e o aumento da vida útil do edifício.
A co…

Cuidados no dimensionamento e na instalação da cobertura verde

Existem 3 tipos de telhados verdes: o extensivo, o intensivo e o semi-intensivo. Eles se diferenciam pelo porte da vegetação e pela quantidade de solo necessária para seu cultivo. O tipo extensivo tem o aspecto de um jardim, com plantas de pequeno porte como as gramíneas. Já a intensiva comporta plantas de médio a grande porte como os arbustos, samambaias e pequenas árvores.

Independentemente do tipo de cobertura adotada, a laje deve ser dimensionada para suportar cargas equivalentes ao acúmulo de água e ao peso total do sistema.

Camada impermeabilizante

É necessário que a superfície seja impermeabilizada antes da instalação do sistema, isso evita que ocorra infiltrações devido ao acúmulo de água da chuva na cobertura. O tipo de impermeabilizante irá depender do projeto e do gosto do executor. Normalmente é utilizado o PEAD (manta de polietileno de alta densidade), cimento polimérico, manta asfáltica geotêxtil ou com tratamento anti-raiz, dependendo do tipo de vegetação.

Camada drenante

E…