Pular para o conteúdo principal

Poluição Ambiental - Parte II

  • Poluição do Solo
As características naturais do solo são alteradas constantemente através das diversas atividades humanas: lançamento de resíduos em sua superfície, agricultura, mineração, etc. Essas modificações impostas ao solo, resulta em sua poluição.

Apesar de não estarmos, na maioria das vezes, em contato direto com solo, somos os mais afetados pela sua contaminação, principalmente através da ingestão de alimentos contaminados.

Vejamos algumas fontes de poluição do solo:

  • Aplicação de agentes químicos: pesticidas e fertilizantes.
Os pesticidas causam danos à saúde do homem, diretamente ou através da cadeia alimentar e os fertilizantes podem causar a eutrofização da água, a partir do carreamento de nutrientes como o nitrogênio e o fósforo, através de líquidos escoados ou percolados no solo.   
        
  • Presença de dejetos oriundos de animais
Os detritos dos animais podem contribuir para a poluição da água, que entra em contato com os mesmos, através do solo, resultando na elevação de DBO - Demanda Bioquímica de Oxigênio.

  • Despejos de resíduos sólidos
Os resíduos sólidos são destinados ao solo de duas maneiras: através de depósitos a céu aberto (lixões) ou aterro sanitário.

A poluição do solo através de lixões pode resultar em: aspecto estético desagradável; maus odores; proliferação de insetos e roedores, transmitindo doenças; poluição da água (infiltração de líquidos ou carreamento de impurezas por escoamento superficial); entre outros.

O aterro quando não projetado corretamente, pode causar a poluição do solo, através do vazamento de chorume e, consequentemente, a poluição da água superficial ou subterrânea das proximidades.

  • Atividades que possam resultar na erosão do solo
A erosão acarreta variações drásticas na composição e estrutura do solo, além da poluição da água, pelo carreamento de pequenas partículas de solo.

Como observado, a poluição do solo está muito relacionada a poluição da água. Assim nem sempre é possível separar a poluição ambiental por modalidades, pois muitas vezes elas ocorrem em conjunto. Como vimos o lixo resulta na poluição do solo, da água, através do escoamento ou infiltração, do ar, através da queima do lixo e da poluição visual, devido ao aspecto desagradável.

Assim, o disciplinamento do uso do solo pode contribuir com a redução e eliminação não só da poluição  do solo, como de outras formas de poluição ambiental.


Fontes:
* MOTA, S. Urbanização e meio ambiente. ABES,2003.
* DYMINKI, A.S. Contaminação de solos e águas subterrâneas.minski

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

‘POLÍTICA AMBIENTAL: Linha do tempo - Evolução da legislação ambiental brasileira.’

Um breve resumo da legislação ambiental no Brasil de 1906 a 2011.

OBS: Por favor, para uma melhor visualização, abrir a imagem em uma nova aba e dar zoom.





Fontes:
* Site do Ministério do Meio Ambiente. Acesse Aqui!
* Site do Planalto. Acesse Aqui!

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Importância do EIA/RIMA - Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental no licenciamento de empreendimentos

A legislação brasileira e estrangeira estipula aos empreendedores a apresentação de estudos de impacto ambiental para o licenciamento ambiental de atividades econômicas. A definição de quais estudos ambientais serão utilizados vai depender do grau de impacto ambiental envolvido e da análise dos órgãos ambientais competentes.
No caso do licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: ferrovias; portos; terminais de minério, petróleo e produtos químicos; oleodutos, entre outras atividades (especificadas na resolução Conama 001/86), é necessário a elaboração de estudo de impacto ambiental (EIA) e respectivo relatório de impacto ambiental (RIMA), a serem submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da Secretaria Especial do Meio Ambiente (SEMA) em caráter supletivo.
A exigência de apresentação de estudos ambientais é importante, pois destina-se verificar  a viabilidade ambiental do negócio a ser instalado ou operado pelo empreendedor, servindo para preven…