Pular para o conteúdo principal

‘Grandes Idéias: Cidades Flutuantes.’

São cidades construídas no mar, semelhantes a uma ilha.

* Alguns projetos:

  • Seasteads - The Seasteading Institute
Uma instituição localizada na Califórina (Estados Unidos), a  The Seasteading Institute, pretende criar cidades flutuantes, chamadas de Seasteads. Um dos investidores do projeto é Peter Thiel, bilionário americano criador do sistema de pagamentos PayPal, que investiu 1,25 milhão de dólares no projeto. A cidade flutuante deve começar a ser construída em 2012.

Principais Detalhes do Projeto:
  • Cada Seastead deverá ter 160 mil metros quadrados e abrigará 270 pessoas.
  • Cada plataforma ficará quase 10 metros acima do nível do mar e os quatros pilares terão tanques com água, fazendo a ilha flutuar e minimizar o impacto das ondas.
  • As ilhas contarão com sistemas de dessalinização da água do mar e aproveitamento da água da chuva.
  • Serão usadas banheiros econômicos, os dejetos não serão jogados no mar. Os moradores terão de se adaptar ao uso de materiais biodegradáveis e serão orientados a economizar na sua utilização.
  • Serão utilizadas fontes de energia renováveis, como a solar, de ondas e variação térmica do oceano.  

  • Lilypad - Vincent Callebaut
Um dos projetos do arquiteto belga Vincent Callebaut é o Lilypad,  também denominada de Ecopólis, é uma cidade anfíbia (meia aquática e meia terrestre), inspirado na Vitória Régia, mas ampliada 250 vezes. Capaz de acomodar cerca de cinquenta mil habitantes. Cada Lilypad será projetada para ser uma cidade de emissões zero, com a utilização de energia renováveis: solar e eólica.

O programa multifuncional é baseado em três marinas e três colinas destinadas ao trabalho, às atividades de comércio e serviços e ao entretenimento. Todo o local é coberto por moradias apoiadas em jardins suspensos, e cortada por uma rede de ruas com desenho orgânico. Segundo o arquiteto, a meta é criar uma harmoniosa coexistência entre humanos e natureza, explorando novos modelos culturais que integrem uma vida aquática.

  • Ilha Flutuante - Seul
A capital sul-coreana, Seul, contém a maior ilha artificial flutuante do mundo. Localizada no rio Han, trata-se de um conjunto de três ilhas: a ilha Viva ( 3.271 metros quadrados), ilha Vista (4.737 metros quadrados) e a ilha Tera (de 1.200 metros quadrados), projetadas para acolher concertos, convenções, exposições, restaurantes e outros espaços de negócio e de lazer.
   
O projeto resultou de uma parceria público-privada, orçada em cerca de 60 milhões de euros. A estrutura da ilha viva é suportada por 24 airbags gigantes. Durante as cheias de verão, o rio Han atinge  16 metros de altura, assim foi necessário uma tecnologia complexa para que o conjunto de ilhas, que pesa quase 4 mil toneladas,  flutue.

Além disso, um sistema de vigilância permanente irá monitorar todas as oscilações das três ilhas. As ilhas também contaraõ com sistema de energia solar.

* Pontos a serem pensados sobre a cidade flutuante

Em uma análise rápida a respeito das cidades flutuantes, é possível levantar alguns pontos como por exemplo: a cidade flutuante será capaz de ser economicamente autosuficiente? Haverá mercado de trabalho para toda população da cidade ou será necessário deslocar-se para a outras cidades terrestres? A cidade dependerá de subsídios para se sustentar?

Outro ponto seria quanto a alimentação: os alimentos e todas mercadorias serão importadas ou haverá produção própria na ilha? Haverá fabrica, indústria, cultivo de alimentos? Manutenção de produtos como serão realizados? Será necessário importar serviços de outras cidades, como por exemplo, bombeiro hidraúlico, eletricista, entre outros?

Quanto a questão de impactos ambientais: será necessário fazer um trabalho de conscientização ambiental com habitantes da ilha, de como deverão agir com o lixo, a utilização de produtos biodegradáveis e a consumir menos, etc. E onde serão lançados os efluentes? Serão tratados na ilha ou trasportados para a terra? E o lixo?

E quanto aos fenômenos naturais: as ilhas suportariam grandes tempestades, tsunami, etc.?

Enfim, são vários pontos a serem ainda analisados com mais rigor. Aqui foi feito uma levantamento superficial dos projetos. No entanto, também não se pode deixar de pensar nos pontos positivos das cidades flutantes, como possível solução para problemas de inundações, superpopulação das metrópoles, entre outros.
   
Fontes:

* Seasteading Institute 

* Vincent Callebaut Architecte C.V.

* Reportagem: “Ilha flutuante equipada com energia solar é inaugurada na Coreia do Sul” - Site Terra

Comentários

  1. Seria ótimo se desse certo, pois diminuiria o sofrimento causado pelas grandes catástrofes vindas da natureza.

    ResponderExcluir
  2. Catástrofes estas, que estão cada vez mais frequentes, principalmente devido as interferências do homem ao meio ambiente.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Sustentabilidade na Construção Civil - Parte 3: Redução, Reutilização e Reciclagem de Resíduos Sólidos

A indústria de construção civil é uma das que mais utiliza recursos naturais e também uma das maiores geradoras de resíduos, tais como: tijolos,  blocos  cerâmicos,  concreto  em  geral,  solo,  rocha,  madeira,  forro, argamassa, gesso, telha, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica, etc.,
O destino desses resíduos muitas vezes são inadequados, contribuindo para os impactos ambientais, tais como: assoreamento de rios e corrégos, obstrução dos sistemas de drenagem, proliferação de agentes transmissores de doenças, etc.
Assim,  é necessário encontrar formas de reduzir, reutilizar e reciclar  (3 Rs) esses entulhos.
Redução
A redução de resíduos consiste em encontrar maneiras de utilizar ao máximo a matéria prima, evitando desperdícios. Para isso é necessário uma boa elaboração do projeto, especificando o material mais indicado, método construtivo mais adequado, visando sempre a menor produção de resíduos e o aumento da vida útil do edifício.
A co…

Cuidados no dimensionamento e na instalação da cobertura verde

Existem 3 tipos de telhados verdes: o extensivo, o intensivo e o semi-intensivo. Eles se diferenciam pelo porte da vegetação e pela quantidade de solo necessária para seu cultivo. O tipo extensivo tem o aspecto de um jardim, com plantas de pequeno porte como as gramíneas. Já a intensiva comporta plantas de médio a grande porte como os arbustos, samambaias e pequenas árvores.

Independentemente do tipo de cobertura adotada, a laje deve ser dimensionada para suportar cargas equivalentes ao acúmulo de água e ao peso total do sistema.

Camada impermeabilizante

É necessário que a superfície seja impermeabilizada antes da instalação do sistema, isso evita que ocorra infiltrações devido ao acúmulo de água da chuva na cobertura. O tipo de impermeabilizante irá depender do projeto e do gosto do executor. Normalmente é utilizado o PEAD (manta de polietileno de alta densidade), cimento polimérico, manta asfáltica geotêxtil ou com tratamento anti-raiz, dependendo do tipo de vegetação.

Camada drenante

E…