Pular para o conteúdo principal

‘NOTÍCIAS: Usina eólica brasileira não atrapalhará aves.’

Na  21ª posição no ranking mundial de energia eólica, o Brasil toma cuidados para evitar um dos mais sensíveis impactos ambientais produzidos pelas hélices gigantes dos aerogeradores: a morte de pássaros.

A instalação desses equipamentos no país exige estudo de avifauna e, mesmo com o vento favorável, as hélices não são colocadas em rotas migratórias de aves. De acordo com o vice-presidente da Associação Brasileira das Empresas de Energia Renovável (ABEER), engenheiro José Tadeu Matheus, as pás das centrais eólicas do país têm grandes dimensões, mas o giro é lento e elas são percebidas pelos animais voadores. Os pássaros batem naquilo que não conseguem ver.  Além disso, as empresas brasileiras adotam torres de sustentação compactas de aço ou concreto, sem pontos de apoio para a construção de ninhos.

Para conferir a notícia na íntegra no Abril.Com:  Clique Aqui!

*   *   *   *   *

Alguns países já estão sofrendo as consequências do aquecimento global por isso é urgente os investimentos em energia renovável. No entanto, sabemos que pesquisas levam tempo porém, são imprescindíveis para que os resultados esperados sejam alcançados.

Apesar de ocupar o 21º posição no ranking de energia eólica, o Brasil tem feito importantes estudos a fim de evitar impactos com a instalação dos parques eólicos e gerar de fato energia mais limpa. Por outro lado, os Estados Unidos que ocupa o segundo no ranking, atrás apenas da China, agora vêem as hélices como ameaça a um de seus principais símbolos, a imponente águia dourada americana, isso porque eles não tomaram o mesmo cuidado.

Poupar um tipo de impacto e gerar um outro tipo não faz sentido. Por exemplo, quando se projeta uma construção para que tenha a entrada de luz natural nos espaços internos para reduzir o consumo de energia, tem que ser avaliado se esse aumento de luz não vai elevar a demanda de ar-condicionado. É ingenuidade dizer que existe uma energia 100% limpa, por isso é necessário avaliar qual tecnologia usar em cada local a fim de diminuir ao máximo os impactos ambientais.

Comentários

  1. Seria uma estratégia de vendedor diz\er que não irá matar aves ?
    Por que as de outros paises matam ? Por que possuem espaço para aves construirem ninhos ?

    Existem muitas pessoas interessadas em vender turbinas ... cada cataventinho deve custar milhões !

    ResponderExcluir
  2. Evidente que há interesses em lucrar com turbinas eólicas, no entanto, para se instalar um parque eólico precisam ser realizados vários estudos e relatórios de impactos ambientais para que as hélices não sejam instaladas em rotas de aves migratórias.

    A comparação do Brasil com Estados Unidos foi mais no sentido de comparar o investimentos desses dois países em tecnologias mais modernas e estudos mais eficientes para evitar esses tipos de impactos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de Esgoto - Parte II

Tratamento Preliminar

O tratamento preliminar objetiva principalmente à remoção de sólidos grosseiros e areia, através de mecanismos físicos. Essa etapa do tratamento é composto basicamente por grades, desarenador (caixa de areia) e um medidor de vazão (ex: calha Parshall) (ver figura abaixo).

Adaptado de Von Sperling, 2005.
GradesAs grades são responsáveis pela remoção dos sólidos grosseiros. No gradeamento, o material de dimensões maiores do que o espaçamento entre as barras é retido. A remoção desse material retido pode ser manual ou mecanizada, que irá depender do tipo de grades utilizada em cada ETE.

Finalidades da remoção de sólidos grosseiros: Proteger as unidades de tratamento subsequentes; Proteger as bombas e tubulações (dispositivos de transporte do esgoto); Proteger os corpos receptores.
Desarenadores (caixa de areia)
Os desarenadores são responsáveis pela remoção da areia contida nos esgotos. Através do mecanismo de sedimentação, os grãos de areia, por terem maiores dime…

Sustentabilidade na Construção Civil - Parte 3: Redução, Reutilização e Reciclagem de Resíduos Sólidos

A indústria de construção civil é uma das que mais utiliza recursos naturais e também uma das maiores geradoras de resíduos, tais como: tijolos,  blocos  cerâmicos,  concreto  em  geral,  solo,  rocha,  madeira,  forro, argamassa, gesso, telha, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica, etc.,
O destino desses resíduos muitas vezes são inadequados, contribuindo para os impactos ambientais, tais como: assoreamento de rios e corrégos, obstrução dos sistemas de drenagem, proliferação de agentes transmissores de doenças, etc.
Assim,  é necessário encontrar formas de reduzir, reutilizar e reciclar  (3 Rs) esses entulhos.
Redução
A redução de resíduos consiste em encontrar maneiras de utilizar ao máximo a matéria prima, evitando desperdícios. Para isso é necessário uma boa elaboração do projeto, especificando o material mais indicado, método construtivo mais adequado, visando sempre a menor produção de resíduos e o aumento da vida útil do edifício.
A co…

Cuidados no dimensionamento e na instalação da cobertura verde

Existem 3 tipos de telhados verdes: o extensivo, o intensivo e o semi-intensivo. Eles se diferenciam pelo porte da vegetação e pela quantidade de solo necessária para seu cultivo. O tipo extensivo tem o aspecto de um jardim, com plantas de pequeno porte como as gramíneas. Já a intensiva comporta plantas de médio a grande porte como os arbustos, samambaias e pequenas árvores.

Independentemente do tipo de cobertura adotada, a laje deve ser dimensionada para suportar cargas equivalentes ao acúmulo de água e ao peso total do sistema.

Camada impermeabilizante

É necessário que a superfície seja impermeabilizada antes da instalação do sistema, isso evita que ocorra infiltrações devido ao acúmulo de água da chuva na cobertura. O tipo de impermeabilizante irá depender do projeto e do gosto do executor. Normalmente é utilizado o PEAD (manta de polietileno de alta densidade), cimento polimérico, manta asfáltica geotêxtil ou com tratamento anti-raiz, dependendo do tipo de vegetação.

Camada drenante

E…